segunda-feira, 10 de outubro de 2011

RELATO DO PARTO

Olá meninas, passei dias escrevendo esse relato aos poucos pois, como vcs sabem, ultimamente são raros os momentos em que posso escrever. Inclusive, estou escrevendo o mais abreviadamente possível pra poder ganhar tempo rsrs. Então vamos lá.


Bom, como vocês já devem ter lido em outros posts, eu nunca simpatizei com o parto normal. Sempre tive medo de tudo, da dor, de dar algo errado, da responsabilidade que a mãe tem no parto normal, afinal num parto deste quem faz o parto não é o médico e sim você né. Além disso eu tenho vários miomas, dentro do útero e fora, e por isso meu médico nunca me encorajou a tentar um parto normal pois poderiam haver complicações. Meu histórico familiar também não era bom pois quando eu nasci minha mãe me teve de parto normal e depois a placenta não saiu, tipo ficou colada, então foi feita uma cesária de emergência pois ela estava tendo hemorragia, ou seja, passou por todo o perrengue do parto normal e teve que fazer a cirurgia do mesmo jeito. Esse tipo de "surpresa" é que eu temia então, diante de tudo, optei por um parto programado, tipo parto de novela mesmo kkk, com direito a filmagem e sem dor. Mas deixo claro que respeito o parto normal e não tenho nada contra a quem opta por esse tipo de parto, é uma decisão totalmente pessoal e acho que cada mãe deve ter o direito de escolher o que quer pra si.

Bom, diante disso eu pude escolher a data do parto. meu médico sugeriu que fosse com 39 semanas pois se eu deixasse completar as 40 a bolsa poderia romper e eu teria contrações que poderiam entrar em "atrito" com os miomas internos, podendo causar sangramento e etc. Então optei pelo dia 10 de setembro, quando eu estaria com 39 semanas e 2 dias, assim seria uma data afastada do feriado e de quebra ainda faríamos uma homenagem a irmã do meu marido que nasceu no mesmo dia. E assim foi feito, marcamos pra essa data às 12:30.


O parto começou às 13:00 hs. Vesti aquela roupa ridícula e fiquei esperando o médico numa área dentro do centro cirúrgico mas fora da sala de cirurgia. Até aí estava tranquila, conversei com outra grávida que teria o bebê depois de mim com o mesmo médico, fizemos filmagens, atendi telefonemas, enfim, nem parecia que iria entrar na faca dali a pouco rsrs. Mas na hora que me chamaram e eu fui pra sala de cirurgia, quando sentei na maca não teve jeito, a emoção veio com tudo e eu soltei o choro...

Naquela hora você só pede a Deus pra que tudo dê certo, mas no fundo você fica com um medo danado de morrer, não pela morte em si, mas de faltar para o seu filho... enfim, me entreguei nas mãos de Deus e aguardei as orientações da equipe.

Sentada na maca, uma enfermeira ficou na minha frente e me pediu que relaxasse e me curvasse pra frente, encostando a cabeça no ombro dela. Nisso a anestesista veio aplicar a temida agulhada. Para minha surpresa, não senti absolutamente nada! nem a picada sequer. Incrível como é difícil relaxar quando alguém te manda relaxar hehehe, mas correu tudo bem.

Ocorre que eu sempre tive medo da anestesia não pegar, pois já li relatos de gente que passou por uma cesária sentindo tudo porque a anestesia não pegou. Quando aplicaram a bendita me mandaram deitar rápido que ela pegaria imediatamente.

Tá...

Passou-se quase um minuto e eu só sentia uma leve dormência, bem leve mesmo. A anestesista pedia pra tentar levantar a perna e eu levantava tanto que faltava encostar no teto rsrs, eles mantinham o tom de voz calmíssimo, mas era óbvio que ninguém esperava por isso pois normalmente a anestesia pega bem rápido. Uma enfermeira foi buscar outra anestesia correndo a pedido da anestesista.

Nesse momento fiquei apreensiva e comecei a orar, não queria ter que passar por uma cirurgia sem anestesia aff! claro que passaria, pela vida do meu filho passaria sim! mas claro que eu não queria né, quem quer? Como eu sentia uma certa dormência uma segunda anestesia certamente pegaria, mas isso não é bom para o bebê, pois quando a anestesia é dada o bebê tem que ser retirado logo, não pode demorar lá dentro. E até a outra anestesia chegar e ser aplicada... enfim, cada segundo contava a partir dali.

Mas Deus em sua infinita bondade interveio e antes que a segunda anestesia chegasse a primeira começou a pegar. O médico deu um beliscão enorme e eu só senti como se ele estivesse encostando na minha pele, então ele viu que estava tudo ok e começou a cirurgia graças a Deus.

Na hora de tirar o bebê outro momento de apreensão. Os miomas fazem com que o útero não "estique" como deveria, porque os miomas são uma espécie de "carne dura", então o médico não conseguia fazer a cabeça passar com facilidade. Na hora eu nem sabia de nada pois não estava vendo, mas na filmagem vi como ele tentava tentava e não conseguia segurar a cabeça entre os dedos. Daí ele cortou mais um pouquinho e o outro médico começou a empurrar o Vitinho, fazendo pressão em baixo dos meus seios. Nossa mas ele empurrava com uma força danada, e esses empurrões a gente sente pois a anestesia não chega até ali.

Nessa hora percebi como é importante o jejum, pois se eu não tivesse feito com certeza eu teria vomitado até a alma ali kkk. Mas empurrão daqui, empurrão dali, o médico finalmente conseguiu tirar meu anjinho, com uma volta de cordão umbilical pra dar mais emoção ainda kkk.

Imediatamente senti o peso do meu filho em cima das minhas pernas, e o choro mais lndo que eu já ouvi na minha vida. Mesmo já tendo visto dezenas de vídeos de parto na internet não tem como não se emocionar com aquilo tudo. Desabei a chorar e agradecer a Deus, e mais ainda ao ouvir os médicos elogiando e dizendo "Parabéns, é um meninão lindo e perfeito!". Que sensação maravilhosa de alívio e gratidão eu senti pelo meu filho estar bem!

O pediatra me mostrou ele rapidinho, só o tempo de dizer "Oi meu amorzinho" debaixo de muito choro. Depois correram com ele pra os primeiros cuidados, e meu marido correu atrás filmando tudo.

E eu fiquei lá, esticada, aliviada, acho que só naquele momento eu consegui relaxar. Pensava o tempo inteiro no meu pequenininho, pois sabia que ele estava passando por momentos difíceis, assustado, sendo examinado, passando por aquela aspiração que eu acho horrível, colírio, vacina... enfim, mas sabia que era tudo pro bem dele. Dali em diante só pensava no momento de vê-lo com calma, de poder falar com ele, dizer que eu era a sua mãe, abraçá-lo, dizer que tudo já havia passado e que eu iria protegê-lo e cuidar dele... enfim, só pensava em encontrar meu pequenininho pra finalmente termos um momento só nosso.

Terminado o procedimento, fui para a sala de pós-parto esperar a anestesia passar, o que aconteceu muito rápido, uma hora depois eu já mexia e levantava as pernas. Mas infelizmente tive que esperar quase duas horas a mais pra subir pro quarto pois o exame de HIV agora está sendo exigido trimestralmente e meu médico fez o favor de não me pedir um... sendo assim eu só tinha o exame do início da gravidez e eles não liberam o bebê pra ir pro quarto sem um exame recente, pra garantir que o bebê não será infectado através da amamentação. Enfim, tive que esperar...

Nossa foram horas bem tristes pois tive que fazer um exame naquela hora e até sair o resultado eu não pude pegar meu bebê. Cada vez que eu ouvia um chorinho longe já achava que era ele com fome, chorei muito de tanta tristeza, as enfermeiras preocupadas do leite não descer de tanto que eu tava triste e agoniada até trouxeram ele pra eu ver que ele tava calminho, conversei um pouquinho e disse "jajá a mamãe vai ficar com você viu". Nossa gente, era um amor tão grande que eu sentia naquele momento, uma vontade tão grande de abraçá-lo por horas, sentir aquele corpinho frágil junto do meu, poder alimentá-lo... e esse amor só cresce a cada dia.

Passado mais uma hora me liberaram pra subir pro quarto. Foi o tempo de eu assistir o parto direto na câmera e meu príncipe chegou. Momento mais que desejado. Coisa mais linda a vovó encontrando com ele pela primeira vez, chorando de emoção e alegria.

Enfim o meu pequeno estava comigo, nos meus braços, mamando, e eu pude fazer todas as declarações de amor que eu queria, abraçá-lo com carinho e fazer com que ele se sentisse seguro e amado.

Bom gente, meu parto foi assim, sem grandes intercorrências graças a Deus, mas cheio de emoções!

Dois dias depois tive alta mas o bebê precisou ficar mais porque teve icterícia, e é óbvio que eu fiquei junto. Mas isso eu conto num outro post :)

Um beijo meninas e até logo!

3 comentários:

Stella disse...

Nossa me emocionei com cada detalhe... q bom q deu tudo certo... e q ele está com saúde...
Amei seu relato
bjs

Anjinho disse...

Amiga, tbém me pelo de medo do parto normal, porém respeito as corajosas.....rsrsr
E me emocionei mto com o relato, sonho com este dia.
bju grande volta e posta umas fotinhas do principe para nós o conhecermos.

Micha Descontrolada disse...

Boa noite, tô passando aqui pra divulgar um sorteio que Atelier Graça Veloso está realizando de um conj. de 3 peças para bebês, composto de toalha de capuz, babadouro e toalha de mão. Inscrições até o dia 26/10. Não perca!!!
http://www.atelierveloso.com/

Aguardamos sua visita e inscrição!!!
Corra logo que faltam poucos dias para o sorteio!!!

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário! Volte sempre!!! :D

  ©Template designer adapted by Ana by anA.

Essa página é hospedada no Blogger. A sua não é?